21/04/2018

Manual básico de como não se ferrar no amor- Parte 1-Não procure um relacionamento

Imagem de converse

Atualmente, é muito comum que as pessoas busquem se relacionar umas com as outras, mesmo sem se conhecerem.Aplicativos como o Tinder são um bom exemplo disso. Mas a verdade, é que isso tem tudo pra dar errado.

Digamos que, o correto, seria um relacionamento ser consequência de um sentimento, e não o contrário.

Esta enraizado na nossa cultura essa história de que todos estamos destinados a encontrar alguém, a tampa da panela, a metade da laranja, a alma gêmea... O que é bem chato, e faz com que algumas pessoas se sintam mal, ou pensem que há algo de errado com elas pelo simples fato de não estarem em um relacionamento ou não ter conseguido manter um, quando na verdade, ninguém é igual a ninguém. Fulaninho pode querer dividir a vida com outra pessoa, o que não obriga ciclaninho a fazer o mesmo.

Há também quem procure relacionamento por que esta se sentindo só, carente. Aí ja viu né? Nesse desespero   pra ter uma companhia, a tendência é diminuir o grau de exigência a um nível baixíssimo, aceitando muito menos do que se merece e até suportando relações tóxicas que nos fazem mais mal do que bem. 

Sem falar nos que querem ficar com uma pessoa pra esquecer outra. É igual se enxugar com uma toalha molhada. Não adianta. Sua dependência só vai mudar de nome.

Na maioria das vezes, não há um motivo muito bom para se procurar um relacionamento. O melhor e mais plausível motivo, é gostar de alguém. Gostar pra cacete, no mínimo. E se você esta procurando gostar, é porquê não gosta, ué.
Pare de procurar. Se ocupe com outras coisas... há tanto pra viver!

20/04/2018

Amor amargo, de Jennifer Brown


Confesso que quando comprei esse livro, não dava muita coisa nele não. Mas eu me surpreendi. A história contada por Jennifer é importante, necessária, comovente, angustiante. Ainda mais por ter o peso de não ser uma história fictícia e irreal.  Existem muitas garotas como a Alex por aí. Relacionamentos abusivos são, infelizmente, muito comuns, não só nos dias de hoje, mas desde sempre.

Não posso deixar de dizer que, o título do livro não poderia ser melhor. Não consigo imaginar outro que descreveria tão bem o que é narrado. Alex ama Cole, um garoto que de início parecia ser incrível, mas que com o passar do tempo demonstra ser problemático e violento. Esse amor, é o que a impede Alex de deixá-lo, mesmo ele a tratando da pior maneira possível. 

É triste ver como, ao passar do tempo, ela vai abrindo mão de muita coisa para agradar o namorado, até mesmo dos amigos de infância, para não causar ciúmes e nem irritação. É claro que não adianta nada, pois até a menor das ações já era o suficiente para que Cole explodisse, usando de violência física e emocional. 

Por vezes eu me peguei indignada, de cara fechada enquanto lia, especialmente nas partes em que o rapaz era perdoado. Outras partes, por outro lado, são de tirar o fôlego.

Essa leitura me instigou mais ainda a escrever as minhas próprias histórias, sobre essas temáticas que permanecem na sombra, como tabus. Ela faz você refletir pode abrir os olhos, e ajudar muita gente. Vale a pena.



31/03/2018

A importância da convicção

Quem nunca teve um momento em que esteve super feliz com alguma ideia, com algum plano, e veio alguém te dizendo um monte de coisas e cortou o seu barato?
Eu já passei por isso várias vezes, e ainda passo, mas percebi que se tem uma coisa que não devemos fazer nessa vida é ser maria vai com as outras.
Não seja maria vai com as outras. Fica ai um titulo secundário para o post.

Acontece que nem sempre é bom dar importância ao que as pessoas tem pra nos falar, a ponto de mudar o nosso caminho,sabe? Veja bem, eu não disse que não devemos dar ouvidos,e sair por ai tacando o foda-se pra tudo e todos. Muitos conselhos nos ajudam sim, a não fazer merda. E como ajudam. Em especial o das nossas mães. 

É que em certas situações, deixamos de fazer algo bom, por que alguém veio e disse que não seria legal, que não ia prestar, que ia ser uma burrice, enfim...Tenho certeza que muita gente já sucumbiu a esses comentários e jogou para o alto um projeto que estava pondo em prática. E depois se arrependeu. 

Quem já passou por uma transição capilar, por exemplo, deve saber bem como é isso. Você já esta decidida (o) a parar de usar químicas no cabelo, se esforçando muito pra conseguir deixar ele crescer, quem sabe já tenha até cortado toda a parte alisada e esteja com um black maravilhoso ou enfim, aí vem alguém e solta: "Eu preferia seu cabelo liso." ou "Esse cabelo não tá bonito não". E tudo vai por água a baixo, porque você não sabe o que quer e se deixou levar. 

Por isso é tão importante estar convicto do que queremos na nossa vida. Para que não viva sempre influenciado, na sombra das certezas alheias. Para que não desista dos seus sonhos só porque uma pessoa aleatória o desaprovou. Seja firme nos seus ideais. Se imponha!

Antes de ouvir os desejos alheios, ouça os seus. Ponha em prática os conselhos que te farão florescer. Mas quando se tratar de críticas destrutivas e sem valor, o melhor mesmo é deixar entrar por um ouvido e sair pelo outro.

29/03/2018

3 comportamentos que representam autoconfiança

girl, travel, and city image
Comecei a estudar linguagem corporal a algum tempo, e é fantástico como pequenas mudanças podem fazer uma grande diferença na forma como você se sente, e como os outros te enxergam. Após ver um vídeo intitulado Como deixar de ser trouxa (usando a linguagem não-verbal) e refletir sobre, fiz uma listinha de 3 comportamentos que podem te tornar mais confiante, e o melhor de tudo é que não é nada muito difícil de se por em prática. Veja:

1. Olhar penetrante
Dizem que os olhos são a janela da alma não é mesmo? Eles podem entregar facilmente como você esta se sentindo. Interesse, desprezo, raiva, desejo...enfim, uma porrada de coisas, sem nem precisar dizer algo. 
Se você estiver inseguro, por exemplo, vai tender a andar encarando o chão, ou durante uma conversa, vai evitar manter contato visual com a pessoa, desviando o tempo todo para pontos vagos. 
As pessoas confiantes geralmente andam de queixo erguido, olhando para frente, e não tem medo de cruzar olhares com ninguém, pelo contrário, elas podem te encarar até deixá-lo sem graça. 

2.Voz firme
A voz firme, estável e no volume certo (nem muito alta, nem muito baixa) passa imediatamente a mensagem de confiança, mesmo que você não esteja muito certo do que esteja dizendo. Falar pra dentro, de forma baixa, ou muito aguda, por outro lado, pode diminuir a credibilidade das suas palavras e te fazer soar infantil e fraco.

3.Postura ereta.
Pessoas que tem baixa autoestima ser encolhidas, como se estivessem com medo do mundo e quisessem desaparecer. Cabeça baixa, ombros caídos e peito fechado, passos rápidos... tentam de toda maneira, ocupar o menor espaço possível e passar despercebidas. 
Já as que tem a autoestima elevada, querem mais é ser notadas. Andam com a coluna ereta, cabeça erguida e peito aberto. Essa postura pode até mesmo mudar o seu estado mental, te fazendo sentir mais forte e vigoroso.

 :)

23/03/2018

Na duvida, faça uma lista

gif image
De acordo com o art. 5º, inciso II, da Constituição Federal, “ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei”.
Todo estudante de direito que se preze tem que usar essa frase pelo menos uma vez na vida pra afirmar ao mundo que não é obrigado a nada.
Comigo não ia ser diferente né.

Eu sempre me importei muito com o que iam pensar de mim, e vivia no conflito: As coisas que eu quero versus O que o resto do mundo quer. Percebi que se eu quiser viver conforme a vontade alheia, não serei eu mesma nunca. Nem ao menos chegarei a ser alguém. Cada ser humano é diferente e tem seu próprio pensamento. Já pensou, querer agradar todos? Você vai ser uma colcha de retalhos que nunca de fato estará inteira. Sempre arrancando um pedaço e costurando outro.

É muito comum que em vários momentos da nossa vida não saibamos o que fazer, quais decisões tomar,e qual rumo seguir, por estarmos confusos demais entre a voz do nosso coração e a voz das outras pessoas. Por isso o autoconhecimento é tão importante. Uma boa dica é fazer uma lista dos seus ideais, princípios e de coisas das quais você gosta. Então quando estiver muito indecisa, é só dar uma olhada nela. 

Segue um exemplo de uma lista autoral intitulada 
NÃO SOU OBRIGADA A SER/FAZER E TÁ TUDO BEM :)
que eu acho que serve para as mulheres em geral.

-Andar maquiada, depilada e com as unhas feitas.
-Ter o cabelo grande.
-Gostar só de meninos.
-Ser magra/peituda/bunduda
-Ser "meiga"
-Buscar um relacionamento (namoro/casamento)
-Ter rosa como cor favorita.
-Ser feminina.

Fazer listas sobre si mesmo é libertador.