12/10/2018

30 Day Writing Challenge: Dia 3 - Liste 10 músicas que você está amando

1. Aindas -Ana Vilela
2. If you want love-NF
3. Sagitário-Hotelo
4. Silence-Grace Carter
5.Sleep on the floor -The Lumineers
6.Dua Lipa- IDGAF
7.Unstoppable-Sia
8. Happier-Marshmello ft. Bastille
9.I love you, baby-Geo da Silva
10.Calendário-Anavitória

15/08/2018

30 Day Writing Challenge: Dia 2 - 5 jeitos de ganhar meu coração

1. Ser engraçado/a
 Rir é muito bom né? Sem dúvidas pessoas engraçadas me chamam a atenção e me cativam.

2. Inteligencia
Não do tipo, nossa fulano é muito nerd, sabe tudo sobre tal assunto e tal, isso também, claro, mas sabe aquelas pessoas que sabem conversar sobre qualquer coisa e que durante a conversa você sempre aprende algo novo com elas? Por mais bobo que possa parecer, tipo uma dica de culinária, ou o significado oculto de uma música, teorias da conspiração, budismo, anatomia das borboletas... Gente que te dá informação, sem nem perceber.

3. Simplicidade
Gente que não é muito cheia de frescura, que você pode falar sobre tudo e ser você mesmo sem ficar se preocupando se vão te achar estranha ou doida. GENTE QUE É DOIDA JUNTO COM VOCÊ.

4. Ser atenciosa/o
Gente que dá bom dia/tarde boa noite, cumprimenta quando vê em algum lugar, quando lembram meu nome... Geralmente sou muito quieta e ninguém nunca nota os quietos né não? Quando alguém grava meu nome eu meio que me sinto especial. Quem não gosta de atenção afinal?

5. Ter a voz bonita
Eu sei, essa é bem boba, mas fazer o que! Gente que tem a voz bonita, grossa, suave,rouca, entre outras características, me ganha. Se cantar então, eu não me responsabilizo... E se for bonita no áudio também... a minha voz em áudio ( e pessoalmente) é uma coisa estranha. Gente que tem voz bonita em áudio nem é gente kkkk

14/08/2018

Eu não queria ser assim

Imagem de MaR

Uma vez estava eu assistindo televisão, um programa de reportagens, e passou uma moça falando que sempre arruma a cama dela todos os dias assim que acorda, como um ritual. Que se não fizer isso, o dia dela dá errado, fica bagunçado, igual a cama. Depois disso eu passei a fazer a mesma coisa, e virou um hábito. Eu não consigo mais deixar meu lençol todo embolado como costumava deixar.

Sou uma pessoa meio doida, ás vezes acho o máximo a ideia ter uma rotina, ter horários fixos e o conforto do habitual. Em outros momentos simplesmente acho um saco, uma "perda de liberdade" e me sinto limitada. Sou daquelas que abre o computador pra estudar e dois minutos depois está trabalhando no projeto do livro que vai vender milhares de cópias e me fazer rica, e no final das contas... não faço nada. 

O ruim de ter muitos interesses e vontades é que você não consegue se dedicar, e consequentemente nada fica inteiro ou bem feito. O bom é que se o plano A não der certo, a gente pula pro B, e assim sucessivamente, até acabar o alfabeto. E ainda inventa letra rs. Meio pessimista não? Ficar pensando nos planos secundários por que VaI QUe o PrIMEirO NãO dÁ CErTo... mas enfim. 

Me sinto confusa, perco o interesse fácil pelas coisas e mudo de ideia mais fácil ainda, isso é péssimo. Comecei a escrever com a intenção de falar sobre como poderia ser benéfico TER UMA ROTINA definida, e agora ele já está virando um monólogo sobre minhas insatisfações. 

A real é que estou dividida entre o conforto de saber o que esperar da vida ou a emoção de viver na base da intuição e da impulsividade. As duas ideias parecem bem ridículas. Você não sabe o que é meio termo né bebê? 

"Não conheço o que existe entre o 8 e o 80"

Fui procurar essa música da Pitty pra pegar esse trecho e achei outro que cai bem no contexto:

"Eu só quero o começo,
Me entedia lidar com o meio
Quero muito, tenho apego
Já não quero só resta desprezo"

Talvez eu deva admitir que não tem nada de tão incrível assim em viver à deriva, aberta as possibilidades. Ser uma metamorfose ambulante enche o saco viu Raul? Mas pode ser que amanhã eu já venha aqui dizendo o contrário. Talvez eu só ache que seguir regras e ter um padrão de comportamento faça a vida menos difícil, mas as chances de estar errada são bem grandes.



09/08/2018

SUN

Você me faz rir muito, muito mesmo. É a pessoa mais engraçada que eu já conheci. Não é algo que se esforça pra ser, simplesmente é. Tranquilo, confiante, despreocupado. Sabe o que quer, e corre atrás. É dono de si.  Não tem medo de coisas que quase todo mundo tem, mas tem de coisas bobas que ninguém imagina. Sua voz é a coisa mais gostosa de se ouvir. Suas manias são super estranhas. Você é inteligente, sabe conversar sobre tudo enfim e eu sempre aprendo algo durante os nossos papos. Eu me sinto a vontade com você. Não preciso ficar pensando no que dizer, em como agir, as coisas  simplesmente fluem entre nós. Não fico com medo do que vai pensar de mim, se vai me achar estranha ou sei lá.
Você não tem medo de aventuras, topa tudo, e não acha minha ideias absurdas por mais que eu mesma ache que elas são... Você tem a doçura, a pureza e a sinceridade de uma criança e a maturidade e sabedoria de alguém que já viveu muitas experiências.
É gentil, leal. Sem preconceitos. Tem a cabeça boa, sabe se virar como ninguém. Não bebe, não fuma, não gosta de muita bagunça, prefere o conforto e a liberdade da própria casa. "Será que tem algum defeito?" Eu pergunto. "Tenho todos." Diz.
Gosta de ler, ouvir música, de arte em geral. Não se envaidece com elogios, nem se entristece com críticas. É convicto do que é, do que gosta e da forma como quer viver, sem deixar que interfiram nisso. Sua simplicidade me cativa. A forma como se encanta com pequenas coisas, como é grato por tudo. Respeita as pessoas, os animais, o planeta. Se importa em manter-se em harmonia com o todo.
É calmaria e fortaleza, como a imagem das águas do mar batendo nas grandes rochas. A palavra que melhor te define é AMOR.
Meu amor.
Com amor,
-.

07/08/2018

30 Day Writing Challenge: Dia 1 - Liste 10 coisas que te fazem feliz

1. Ficar deitada ouvindo música e pensando na vida.

2. Cozinhar em geral, mas em especial coisas diferentes.

3. Tirar nota boa em prova.

4. Gatos.

5. Encontrar uma série muito boa.

6. Riscar metas que eu queria muito alcançar.

7. Flertar.

8. O momento antes de dormir onde eu imagino coisas super legais acontecendo.

9. Comprar livros.

10. Me pesar e ver que emagreci.

21/04/2018

Manual básico de como não se ferrar no amor- Parte 1-Não procure um relacionamento

Imagem de converse

Atualmente, é muito comum que as pessoas busquem se relacionar umas com as outras, mesmo sem se conhecerem.Aplicativos como o Tinder são um bom exemplo disso. Mas a verdade, é que isso tem tudo pra dar errado.

Digamos que, o correto, seria um relacionamento ser consequência de um sentimento, e não o contrário.

Esta enraizado na nossa cultura essa história de que todos estamos destinados a encontrar alguém, a tampa da panela, a metade da laranja, a alma gêmea... O que é bem chato, e faz com que algumas pessoas se sintam mal, ou pensem que há algo de errado com elas pelo simples fato de não estarem em um relacionamento ou não ter conseguido manter um, quando na verdade, ninguém é igual a ninguém. Fulaninho pode querer dividir a vida com outra pessoa, o que não obriga ciclaninho a fazer o mesmo.

Há também quem procure relacionamento por que esta se sentindo só, carente. Aí ja viu né? Nesse desespero   pra ter uma companhia, a tendência é diminuir o grau de exigência a um nível baixíssimo, aceitando muito menos do que se merece e até suportando relações tóxicas que nos fazem mais mal do que bem. 

Sem falar nos que querem ficar com uma pessoa pra esquecer outra. É igual se enxugar com uma toalha molhada. Não adianta. Sua dependência só vai mudar de nome.

Na maioria das vezes, não há um motivo muito bom para se procurar um relacionamento. O melhor e mais plausível motivo, é gostar de alguém. Gostar pra cacete, no mínimo. E se você esta procurando gostar, é porquê não gosta, ué.
Pare de procurar. Se ocupe com outras coisas... há tanto pra viver!

20/04/2018

Amor amargo, de Jennifer Brown


Confesso que quando comprei esse livro, não dava muita coisa nele não. Mas eu me surpreendi. A história contada por Jennifer é importante, necessária, comovente, angustiante. Ainda mais por ter o peso de não ser uma história fictícia e irreal.  Existem muitas garotas como a Alex por aí. Relacionamentos abusivos são, infelizmente, muito comuns, não só nos dias de hoje, mas desde sempre.

Não posso deixar de dizer que, o título do livro não poderia ser melhor. Não consigo imaginar outro que descreveria tão bem o que é narrado. Alex ama Cole, um garoto que de início parecia ser incrível, mas que com o passar do tempo demonstra ser problemático e violento. Esse amor, é o que a impede Alex de deixá-lo, mesmo ele a tratando da pior maneira possível. 

É triste ver como, ao passar do tempo, ela vai abrindo mão de muita coisa para agradar o namorado, até mesmo dos amigos de infância, para não causar ciúmes e nem irritação. É claro que não adianta nada, pois até a menor das ações já era o suficiente para que Cole explodisse, usando de violência física e emocional. 

Por vezes eu me peguei indignada, de cara fechada enquanto lia, especialmente nas partes em que o rapaz era perdoado. Outras partes, por outro lado, são de tirar o fôlego.

Essa leitura me instigou mais ainda a escrever as minhas próprias histórias, sobre essas temáticas que permanecem na sombra, como tabus. Ela faz você refletir pode abrir os olhos, e ajudar muita gente. Vale a pena.